Temperatura CPUs Desktop em Portáteis

Escrito Por: OBSIDIAN PC
16 Jan / 2017
Dissipar o calor produzido por processadores Desktop Unlocked como os 6700K e 7700K não é tarefa fácil, vê o nosso estudo.

Durante um mês decidimos fazer vários testes com CPUs 6700K em portáteis com dissipadores como o P775DM3-G e o P751DM2-G. Neste teste usamos diferentes pastas térmicas, diferentes técnicas de montagem e procuramos encontrar o método mais eficaz para reduzir a temperatura destes CPUs.

 

É indiscutível que CPUs Desktop têm mais performance do que os CPUs mobile, e é indicutível que os CPUs Unlocked (K) permitem ajustes que fazem destes a melhor escolha para qualquer entusiasta. Mas arrefecer um CPU destes não é tarefa fácil! Descobre como o fazemos!

 

Os CPUs actuais cortam a performance sempre que temperatura excessiva é detectada (Throttle), o que quer dizer que se um equipamento não é capaz de arrefecer decentemente um CPU, então este vai ter pior performance quanto pior for o sistema de refrigeração.

Uma das soluções é fazer Undervolt (reduzir a voltagem do CPU), visto que de origem tem valores algo excessivos. Isto é algo que nós proprios também fazemos aos nossos portáteis, mas que ainda assim não é algo "obrigatório" para um uso "normal" do Portátil. Depois nem sempre undervolt é suficiente para resolver os problemas de uma má montagem, ou até, em alguns casos, o Undervolt necessário será instavél se o sistema de refrigeração obrigar a reduções excessivas de voltagem.

Para os nossos testes estamos a correr um programa de benchmark que coloca o CPU e GPU em performance máxima (100%).

 

 

Na imagem em cima temos um P775DM3-G com um CPU 6700K e GTX 1080 montado com pasta térmica de altissima qualidade, Grizzly Kryonaut, como dá para ver, colocar uma boa pasta térmica não é suficiente, é necessário reduzir a voltagem do CPU.

 

Este procedimento é bastante simples e não danifica o CPU, a única atenção que é necessária é que nunca podemos descer a voltagem em demasia pois se exagerar-mos no "undervolt" (redução de voltagem) o CPU pode ficar instável.

 

Um valor que parece ser um bom compromisso é reduzir em 120mv. A partir de -120mv é necessário testar bem o CPU pois enquanto alguns CPUs aguentam fácilmente valores superiores outros começar a falhar. No entanto a questão que se coloca é, será -120mv suficiente?

Na imagem em cima podemos ver que o CPU com -120mv ainda assim faz throttle, apesar de posteriormente ele acelerar as ventoinhas e as temperaturas estabilizarem em cerca de 91ºC. Isto quer dizer que existe uma redução de performance pois o portátil não consegue responder a tempo ao exagerado aumento de temperatura e por outro lado quer dizer que a temperatura de funcionamento com o portátil a usar 100% da capacidade é de até 91ºC, apesar de já estar com undervolt.

Não só um sistema assim não é "ideal" a nível de temperaturas como não deixa espaço para overclock apesar de ter um CPU Overclockable.

Aqui fica um imagem das temperaturas registadas:

Com os cores a oscilar até 91ºC e com picos de 100ºC (throttle) chegamos à conclusão que não só é preciso mais que uma boa pasta térmica como seria necessário undervolt superior a -120mv. 

Isto obviamente é algo que não acontece num portátil OBSIDIAN-PC, pois desde o primeiro dia que vendemos os nossos equipamentos preparados para estes CPUs.

Na OBSIDIAN-PC desde o inicio desta geração de portáteis encontramos outra solução que passa por fazer delid ao CPU, basicamente esta técnica resume-se por retirar o "heat spreader" do CPU e melhorar o contacto entre o "die" e o "heat spreader".

Ao fazermos isto colocamos entre o heat spreader e o die um material conhecido como "metal liquido", neste caso o melhor do mercado, "Thermal Grizzly Conductonaut". E para além disto ainda melhoramos a superficie de contacto do cooler, fazendo um polimento conhecido como "Lapping":

A diferença é substancial! Se partirmos do principio que um undervolt de -120mv é perfeitamente seguro e estável então podemos assumir que as temperaturas registadas deixam finalmente bastante espaço para melhorar os clocks, garantindo ainda uma utilização de baixo ruido em tarefas comuns.

 

Já no inicio desta geração colocamos um video onde mostramos um 6700K a 4.7Ghz com excelentes temperaturas, como podem ver neste vídeo:

 

Na altura deste video ainda nem usavamos metal liquido, e entretanto a técnica actual ultrapassa em grande escala a técnica que usavamos na altura.

 

A nossa última abordagem inclui tudo o que foi referido anteriormente mais modificações no proprio cooler. Não vamos entrar em grandes detalhes sobre este metodo pois devido ao trabalho que adiciona ao processo de montagem e ao custo que tem não queremos correr o risco de sermos copiados como já aconteceu no passado.

 

Basicamente o nosso objectivo sempre foi oferecer um sistema em que os entusiastas podem ter um CPU como o 6700K onde sem undervolt não existe throttle (algo possivel nos nossos portáteis com o perfil "OVERCLOCK" de ventoinha).

Se alguma outra loja publicitar o mesmo e se decidirem comprar noutra loja o que devem testar é correr o AIDA Extreme e fazer um Teste de Estabilidade de sistema com todas as opções activas menos o teste ao HDD.

 

Na OBSIDIAN-PC antes de enviarmos os nossos PCs anexamos à tua encomenda os testes efectuados ao teu portátil para comprovares as temperaturas. Quando receberes o portátil podes correr novamente os testes e comprovar os mesmos resultados.

Como podes ver as temperaturas têm um pico enquanto as ventoinhas não se ajustam e depois estabilizam entre 67ºC a 79ºC. Relembramos que neste caso estamos a olhar para um P775DM3-G com 6700K e GTX 1080 onde o sistema está com CPU e GPU em uso de 100%, são 30 minutos onde é possivel ver as temperaturas estabilizadas e nenhum registo de throttle!

Os resultados são tão bons que não é necessário sequer undervolt! Os entusiastas que queiram fazer Overclock podem colocar as ventoinhas em modo Overclock e remover por completo qualquer undervolt, aproveitamos para explicar que todos os testes até agora foram feitos com as ventoinhas em modo "AUTOMATICO".

Uma das grandes diferenças entre o modo "Automatico" e o modo "Overclock" é o facto de as ventoinhas terem um tempo de reacção mais rápido, deste modo não existe aquele aumento de temperatura que se vê no inicio do gráfico.

 Aqui fica, SEM UNDERVOLT, Overlock Fan Profile:

 

 

Um verdadeiro entusiasta pode finalmente fazer overclock com uma base que ofereçe um ENORME espaço para melhoria.

Um simples undervolt entre -60mv a -90mv permite um uso silencioso em modo Automático sem throttle, mesmo com uso de 100% CPU e GPU! Os entusiastas que pretendam fazer overclock podem colocar o PC em modo "OVERCLOCK" e aumentar clocks até ao limite máximo do CPU, com pequenos ajustes de voltagem conseguimos atingir valores entre 4.5Ghz e 5Ghz, mas deixamos a parte do Overclock para os clientes mais entusiastas e não para estes testes.

Como é obvio este teste representa a condição mais "Extreme" possível, em que tanto o CPU como o GPU estão a ser levados ao limite, isto significa que em uso normal, mesmo sem undervolt o portátil vai correr em boas temperaturas e quer também dizer que os entusiastas têm ainda, com o perfil overclock, muito espaço para melhorar a performance.

Este foi o resultado da nossa pesquisa e está incluido gratuitamente em todos os nossos portáteis com estes CPUs. Estes resultados são ainda mais relevantes para os novos CPUs como é o caso do i7 7700K.

Deixa um comentário

0 Comentários

Preenche os campos (*) obrigatórios. Não é permitido código HTML.